UOL TV – Rei Davi

Escrito por Thelmo Fernandes . Publicado em CLIPPING TV

Thelmo Fernandes fala sobre personagem em ‘Rei Davi’

Para viver o profeta Natã, Thelmo ficou irreconhecível, com barba, bigode e sobrancelhas postiças, além de peruca

06 de Novembro de 2011

UOL/TELEVISÃO

    Thelmo Fernandes fala sobre seu personagem em "Rei Davi"

    Thelmo Fernandes fala sobre seu personagem em "Rei Davi" (DIVULGAÇÃO)

    Certos personagens exigem uma concentração maior de seus intérpretes. É o que Thelmo Fernandes constata ao dar vida ao profeta Natã, em "Rei Davi", próxima minissérie bíblica da Record. Antes de gravar suas cenas, o ator costuma ficar quieto durante um tempo, buscando entender e encontrar o tom do papel. "Realmente, tem de se colocar em outro lugar, deixar a poeira baixar, dar uma limpada na cabeça", explica. "Não é um personagem que dá para você ficar aqui contando piada e ir gravar", completa. E, como Thelmo nunca fez nada parecido na tevê, este tem sido um papel importante e difícil. Ainda mais por não existir muitas referências sobre o personagem, até mesmo na Bíblia, que o ator resolveu ler assim que soube o que interpretaria na produção. Sem falar que pegou algumas dicas com a mãe, que é bastante religiosa. "Ela é professora de latim e me ajudou muito", conta.

    Além disso, Thelmo teve aulas de hebraico, assim como outros atores que dão vida aos personagens levitas, que eram de uma das 12 tribos de Israel, cujos homens costumeiramente eram sacerdotes e profetas. A ideia é que algumas cenas sejam faladas nessa língua e que a tradução apareça em legenda. Na trama, Natã acompanha Davi, de Leonardo Brício, durante todo o processo de reinado e continua atuando quando o filho assume o lugar do pai. O papel também é responsável por guardar a arca da aliança e ser uma ponte entre Deus e o rei. "É um lugar de reflexão e de contato com Deus. Esses caras tinham essa coisa da sabedoria", ressalta. "A gente que vive no século XXI, com essa quantidade de informação louca, fica imaginando o que eram eles meditando em cavernas, tendas, não sei quantos anos antes de Cristo", acrescenta, surpreso.

    Para viver Natã, Thelmo fica irreconhecível. Coloca barba, bigode e sobrancelhas postiças, além de peruca. Ele ainda tentou deixar a barba crescer, mas o resultado não foi tão satisfatório. "Minha barba é a famosa barba dura e cheia: dura de se ver e cheia de falha", admite, bem-humorado. Nas duas fases da trama, o ator usa os acessórios. A diferença entre elas é que, na primeira, Thelmo aparece com menos cabelos brancos e o comprimento dos fios é menor que na segunda, quando há uma passagem de tempo de dez anos. A caracterização detalhada, aliás, acaba ajudando ainda mais o trabalho de composição do ator. "Uma coisa sou eu aqui lendo os capítulos. A outra é você ver aquela vestimenta, que já traz um peso muito interessante. E com a barba, vem o peso da idade também", destaca ele, que tem 45 anos e seu personagem tem 48, na primeira fase, e 58, na segunda.

    Outro fato que auxiliou Thelmo a compreender melhor o personagem foi a gravação por cenários, fora da ordem cronológica da história, como acontece com a maioria das minisséries. O ator começou pelas sequências em que o profeta Natã estava mais velho, o que lhe deu respaldo para captar a densidade do papel. "Talvez, se eu começasse na primeira fase, eu tivesse uma dificuldade para encontrar o peso dessa figura muito forte, tanto no campo da razão como no campo da emoção", imagina ele, que também prefere estar por dentro do que acontece com todos os núcleos. "Sabendo que não vou gravar em uma ordem cronológica, fico mais ligado, esperto e procuro ler todos os capítulos para ver o que está acontecendo", revela.

    O convite para fazer parte do elenco da produção veio logo depois que "Ribeirão do Tempo" chegou ao fim. Thelmo, que interpretou o vilão Nasinho na trama de Marcílio Moraes, nunca havia feito uma novela inteira até então. "Depois que acabou a novela, fui convidado pela Record para assinar contrato", comemora ele, que já fez inúmeras participações em programas, principalmente de humor, como "A Grande Família" e "Casos e Acasos", além de atuar no "Cilada", do Multishow. "Esse perfil de humor me agrada bastante. Agora, quero fazer um 'vilãozão' na tevê. O Nasinho já foi um muito legal, mas quero fazer um daqueles que as pessoas querem matar na rua", torce.